5 benefícios que a inovação tecnológica leva ao sistema de saúde

Entenda como a digitalização contribui com os diagnósticos, tratamentos e na satisfação dos pacientes

31/07/2020 às 9:00

Diagnósticos precoces, desafogamento do sistema de saúde e humanização são apenas algumas das vantagens que a tecnologia e a digitalização têm garantido à medicina moderna. Com equipamentos mais precisos, dados centralizados, médicos mais atentos e disponíveis, todo o processo de atendimento, tratamento e cura do paciente fica mais completo e eficaz.

No Brasil, o cenário é animador: segundo dados do Healthtech Report 2019, publicado no segundo semestre do ano passado, da Distrito Healthtech, o número de startups que desenvolvem tecnologia para saúde cresceu mais de 40% em quatro anos.

Neste artigo, você vai ver:

  • Diagnósticos precisos e maior controle das doenças
  • As vantagens da telemedicina
  • Melhora da jornada do paciente
  • Como garantir a segurança da informação
  • Importância da conectividade
Imagem de uma médica mexendo em um aparelho de exame para simbolizar o sistema de saúde.
O número de startups que desenvolve tecnologia para a saúde cresceu 40% nos últimos anos. Foto: Freepik

Benefícios da inovação tecnológica para o sistema de saúde

1. Exames e cirurgias mais precisos

Com o avanço da tecnologia, exames contam com imagens em alta resolução, podendo mostrar partes internas do corpo humano nunca vistas antes. Facilitando, portanto, a constatação de doenças em fases iniciais, o que aumenta as chances de recuperação.

Conforme o mastologista Henrique Pasqualette, diretor do Centro de Estudos e Pesquisas da Mulher (CEPEM), atualmente, para a detecção precoce do câncer de mama, por exemplo, além da mamografia, há outras análises que ajudam a chegar ao diagnóstico com 90% de assertividade.

Nas intervenções cirúrgicas, a utilização da nanotecnologia e de robôs garantem precisão e segurança nos procedimentos. Dessa forma, o especialista vê o interior do corpo de forma aumentada e os movimentos mecânicos são milimétricos. Além de reduzir as probabilidades de erro, essas tecnologias ajudam na recuperação no pós-operatório, uma vez que as incisões são pequenas.

No Brasil desde 2008, as cirurgias robóticas são realizadas em alguns hospitais, como o Israelita Albert Einstein e o Sírio Libanês, que contam com Da Vinci Surgical System. O robô cirurgião tem quatro braços controlados a distância por médicos altamente treinados.

Confira as possibilidades no vídeo abaixo:

A Internet das Coisas (IoT) permite esse trabalho através de equipamentos conectados e o manuseio humano.

2. As vantagens da telemedicina

A pesquisa Conectividade e Saúde Digital na Vida do Médico Brasileiro, da Associação Paulista de Medicina e Global Summit, publicada em março de 2020, destaca que 65,19% dos especialistas usam WhatsApp para se comunicar com seus pacientes e 63% afirmam que têm interesse nesse recurso como complemento ao atendimento clínico hospitalar.

O primeiro benefício da telemedicina é desafogar o sistema de saúde, já que os pacientes com dúvidas ou com sintomas menos graves realizam consultas virtuais.

Além disso, doentes crônicos não precisam de acompanhamento presencial frequente, pois podem ser monitorados online pelos profissionais da saúde.

A medicina a distância também impacta positivamente a emissão de laudos, uma vez que os exames vão para uma plataforma digital com acesso remoto. Assim, o médico pode visualizá-los de onde estiver, além de consultar e debater casos com outros especialistas de qualquer lugar do mundo.

Pensando nesse cenário e na necessidade dessa mobilidade, a Vivo Empresas oferece os Planos Smart Empresas com internet 4G, ligações e uso de apps ilimitados.

Imagem de um celular com símbolos médicos para simbolizar o sistema de saúde.
Atualmente, 65,19% dos médicos usam WhatsApp para se comunicar com seus pacientes. Foto: Freepik

3. Melhoria da experiência do paciente

Agilidade para marcação de exames, consultas pela internet, redução de filas, acolhimento ágil, funcionários mais atentos aos pacientes… Tudo isso é propiciado pela inovação tecnológica na área da saúde e ajuda a humanizar o atendimento.

Uma das ferramentas mais importantes é o prontuário eletrônico, autorizado pela Resolução CFM 1.821/07, que reúne o histórico médico completo de cada paciente, que reúne:

  • Exames realizados e respectivos resultados;
  • Alergias;
  • Predisposição a doenças;
  • Passado cirúrgico;
  • E outros dados que auxiliam os profissionais da saúde em consultas mais assertivas.

Com todos esses dados em mãos, o atendimento dispensa uma anamnese, gerando mais tempo para o especialista ouvir as queixas e personalizar o acolhimento.

E para que isso funcione, as informações precisam ser processadas e armazenadas com segurança na nuvem. A solução Cloud, de Vivo Empresas, conta com essas características, além de oferecer robustez e flexibilidade.

Imagem de uma médica segurando a mão de uma paciente em uma cama hospitalar.
A tecnologia ajuda a personalizar o atendimento médico. Foto: Freepik

4. Gestão eficiente

Softwares ajudam na administração financeira, com acompanhamento do uso dos recursos, controle de despesas e logística do estoque. Além disso, essas ferramentas permitem integrar setores, como, por exemplo, a recepção, o financeiro e a área médica, o que auxilia na estruturação do processo de entrada e internação do paciente.

Portanto, ferramentas de colaboração são excelentes aliadas do sistema de saúde para organizar a rotina de diferentes áreas médicas. Os processos ficam visíveis, as tarefas são distribuídas, as atividades podem ser monitoradas e as equipes trabalham em sintonia. Os arquivos podem ser acessados de qualquer lugar e compartilhado entre os profissionais.

Nessa etapa também entra o Big Data, com análise de dados que auxilia a determinar manutenções preventivas, controle de insumos e facilidades para tomada de decisões.

5. Autocuidado e prevenção de doenças

O estudo global da Deloitte “Forças da mudança: O futuro da saúde”, publicado no início de 2019, indica que em 20 anos, a área de saúde será muito diferente do que conhecemos hoje. E a transformação digital será a responsável por essa mudança.

Até o ano de 2040, dados e tecnologia deverão capacitar o paciente para resolver problemas de rotina sozinhos. Por exemplo, ao sentir uma dor de ouvido, a pessoa poderá, sozinha, fazer testes em casa que ajudem no diagnóstico e na indicação de medicamentos isentos de prescrição.

Além disso, softwares, relógios e acessórios de uso pessoal serão amplamente utilizados para monitorar a frequência cardíaca, pressão e outros indicadores médicos, alertando usuário e profissionais de saúde quando algo estiver fora do normal.

Imagem de um pulso de um homem usando um relógio inteligente.
No futuro, todos usarão relógios inteligentes e os dados serão monitorados pelos médicos. Foto: Freepik

Atualmente, hospitais já estão utilizando oxímetros nos dedos dos pacientes de Covid-19 que não estão internados em UTI. O aparelho envia os dados da oxigenação para uma nuvem que fica na enfermaria. Assim, os profissionais não precisam entrar o tempo todo nos leitos, reduzindo o risco de contaminação e mantendo o monitoramento. E mesmo de casa é possível adotar esse método e enviar aos profissionais as respostas do aparelho.

A Inteligência Artificial também é uma fonte promissora de ajuda no autocuidado e detecção antecipada de doenças.

Uma pesquisa publicada pela Nature sugere que ferramentas tecnológicas poderão ajudar os pacientes a identificarem câncer de pele por meio do smartphone. Para chegar a essa conclusão, uma equipe da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, criou um algoritmo que compara quase 130 mil imagens de doenças de pele e indica a condição.

Portanto, é a tecnologia ajudando na triagem de doenças.

Informações seguras

Com tudo digitalizado e acesso a tantos dados pessoais sigilosos dos pacientes, é preciso centrar esforços e garantir que sejam cumpridos os protocolos de Segurança da Informação, baseado na Lei Geral de Proteção de Dados.

Sendo assim, é fundamental buscar ferramentas que garantam essa proteção, redes seguras, antivírus eficientes, criptografia e recursos que assegurem a privacidade.

O segredo está na conexão

Por fim, somente com uma conectividade de qualidade é possível extrair todos os benefícios que a tecnologia proporciona aos sistema de saúde.

Uma solução para isso é a Internet Dedicada da Vivo Empresas, uma rede corporativa de alto desempenho que garante uma conexão exclusiva, segura, atendimento 24 horas e reparos em até 4 horas.

Imagem de um cardiograma e uma pessoa apertando o ícone de um coração.
Conectividade é essencial para que o sistema de saúde aproveite todos os benefícios da tecnologia. Foto: Freepik

Conclusão

A penetração da tecnologia no sistema de saúde gera diversos benefícios, tais como:

  • Detecção precoce de doenças e tratamentos mais específicos;
  • Possibilidade de consultas remotas;
  • Agilidade e humanização do atendimento;
  • Gestão eficaz dos hospitais e clínicas;
  • Prevenção de doenças a partir do autocuidado.

A fim de garantir tantas vantagens, a conectividade e a Segurança da Informação são fundamentais.

Esperamos que este artigo tenha sido útil e desperte boas ideias para implementar em sua clínica médica ou hospital.

Além disso, aproveite para ler outros artigos que separamos para você:

Até a próxima!

Gostou deste conteúdo?

Compartilhe nas suas redes:
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio