Como a Inteligência Artificial está sendo aplicada na educação e quais são os benefícios

O uso da tecnologia ainda está no início, mas as vantagens já podem ser calculadas e são animadoras

15/05/2020 às 9:00

Inteligência Artificial (IA) não é um tema futurista. Ela é a realidade. E cada vez mais fica claro que não se trata do domínio dos robôs, mas de uma contribuição sem precedentes em todas as áreas. E na educação não é diferente.

Com o uso dessa tecnologia, é possível chegar à equação perfeita: fundimos a inteligência humana com a artificial e criamos um aprendizado completo e direcionado a cada aluno. Os benefícios são muitos e já podem ser observados em diversas instituições que usam a IA pelo mundo.

Neste artigo, você verá:

  • O cenário global
  • As plataformas e seus benefícios
  • Os cases de sucesso
  • Impactos positivos da Inteligência Artificial
Ilustração de uma mão clicando e um botão digital para simbolizar o uso da inteligência artificial.
Já é possível observar o benefícios do uso da IA na educação pelo mundo. Foto: Freepik

O uso da Inteligência Artificial na educação

Uma sala de aula é formada por alunos de perfis distintos. Cada um tem seu tempo de aprendizagem e absorve melhor os conteúdos com determinados métodos. E o modelo tradicional, é mais difícil para o educador identificar cada uma dessas diferenças. É aí que a Inteligência Artificial faz a diferença na personalização do ensino.

Com essa tecnologia, a educação e o aprendizado não se limitam à sala de aula e as respostas diretas dos docentes. Por meio dela, o educando é capaz de reconhecer novas fontes de conteúdo, de se informar e buscar conhecimento, mas sempre sendo tutorado e guiado de perto pelo professor. E ele, graças à análise de dados provenientes da Inteligência Artificial, sabe exatamente onde é preciso ajustar o ensino.

Apesar de o uso ainda ser tímido no Brasil, uma pesquisa divulgada pela consultoria Pearson, no final de 2019, deixa claro que os estudantes entendem a importância desta tecnologia

Para 81% dos entrevistados, a aprendizagem ficará mais self-service a partir do uso da Inteligência Artificial. Assim, os alunos é que irão atrás da informação, sem que o professor a ofereça da maneira tradicional. Além disso, 77% acreditam que a IA terá impacto positivo na área educacional.  

Nesse sentido, já é possível ver a movimentação do mercado em busca de desenvolver plataformas e tecnologias para que a implementação seja mais acelerada.

Em dezembro de 2019, a Microsoft firmou uma parceria com a ABMES (Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior), a Bett Educar e o Movimento Brasil Digital, com o objetivo de capacitar 25 mil estudantes e profissionais em Inteligência Artificial no Brasil.

Imagem da sigla AI (sigla em inglês da palavra Inteligência Artificial) e a silhueta de uma pessoa.
Empresas e instituições fazem parceria para acelerar o uso da IA na educação.Foto: Freepik

Como funcionam as ferramentas

São muitas as plataformas que já estão em uso e fazem parte da rotina acadêmica dos estudantes.

Um método eficiente de ensino é a aprendizagem adaptativa, que entende as necessidades de cada aluno e se ajusta para supri-las de acordo com o ritmo e as dificuldades individuais.

E isso só é possível porque a tecnologia se faz presente, apontando essas percepções – um professor sozinho não daria conta de avaliar tão minuciosamente cada estudante e preparar estratégias particulares.

Sendo assim, a ferramenta reúne dados de aprendizagem de cada um, interpretando as dificuldades, ritmo e lacunas, reportando ao docente. Normalmente, há ainda a presença de um chatbot como tutor, programado para dar dicas e orientações focadas em problemas.

Portanto, é possível uma avaliação intensificada e em tempo real, a partir de estatísticas e do Big Data, como o uso de soluções tecnológicas como a oferecida pela Vivo Empresas. Por meio dela, os alunos e os professores não precisam esperar as provas para entender as lacunas de seu aprendizado.

Outra vantagem é oferecer recursos imediatos para que o estudante compreenda melhor determinado conteúdo ou se aperfeiçoe nele. A ferramenta é capaz de selecionar artigos, vídeos e materiais extras.

De um lado, o docente tem um feedback da plataforma, com relatórios sobre cada educando, para que possa interferir e orientar sempre que necessário. Do outro, o aluno consegue ampliar seu autoconhecimento e ganhar autonomia em sua rotina de estudos.

Por meio de ferramentas específicas, o próprio estudante consegue se testar, avaliar o quanto aprendeu sobre algum tema em sala de aula e entender quais são os pontos de maior dificuldade. Pode organizar os estudos, direcionando-os para as áreas com maior ou menor dificuldade.

Cases importantes

Vencedora do prêmio “As 100 + Inovadoras no Uso da TI” de 2019, na categoria Educação, a Saint Paul Business School desenvolveu um projeto inovador baseado em Inteligência Artificial: o LIT.

Trata-se de uma plataforma online de aprendizagem voltada aos negócios que conta com um assistente virtual, o Paul, programado pelos professores e que tira dúvidas 24 horas por dia.

Acima de tudo, com o LIT é possível ter acesso a um amplo material digital na área de business:

  • 20 mil horas de conteúdo;
  • 1,5 mil exercícios com resoluções explicativas e passo a passo;
  • Uma biblioteca com mais de 8 mil livros;
  • Trilhas para dez programas de MBAs da escola britânica.

O aluno pode acessar o sistema de qualquer lugar, a qualquer hora. O incentivo é para que ele tenha um autodesenvolvimento e possa caminhar em seu estudo de forma pessoal.

O ensino chinês, por meio da ferramenta da Squirrel AI Leraning, vai além. O sistema MCM usa algoritmos para identificar a capacidade de cada aluno, baseando-se mais do que em resultados das disciplinas tradicionais, como matemática, química e física.

Ele mede habilidades como compreensão verbal, expressividade, nível artístico, raciocínio lógico, entre outras. Dessa forma, o conteúdo pode ser personalizado de acordo com a capacidade cognitiva individual, paralelamente às aulas, no ritmo de cada um.

O resultado é um ensino absolutamente personalizado.

Ilustração de um robô saindo de um celular para simbolizar o uso da inteligência artificial nos smartphones.
O uso da IA já resulta em ensino personalizados na Inglaterra e na China. Foto: Freepik

Vantagens

Muitos são os benefícios do uso da IA na educação. Confira a seguir alguns deles:

  • Uma instituição que aplica a Inteligência Artificial em seu sistema de ensino tem o currículo transformado, está à frente e tem mais valor agregado a oferecer para os alunos.
  • A escola pode promover a inclusão de pessoas com deficiência, fazendo com que todos tenham a possibilidade do mesmo acesso ao conhecimento.
  • Capacidade de aprendizado e evolução da própria unidade escolar. Segundo análise do CIEB (Centro de Inovação para a Educação Brasileira), por meio de dados será possível aperfeiçoar os processos pedagógicos e organizacionais com base em informações em tempo real.
  • Além da contribuição para o crescimento dos estudantes, professores e gestores.  

Conclusão

Definitivamente, alunos, docentes e instituições de ensino se beneficiam com a aplicação da Inteligência Artificial na educação. O aprendizado fica mais personalizado e o professorado mais eficiente.

Apesar de estar ainda em fase inicial de implementação no mercado educacional, já há cases que comprovam eficiência da IA tem e deve ser popularizada e amplamente utilizada em breve para melhorar o aprendizado.

Por fim, para saber ainda mais sobre o uso da tecnologia na educação, aproveite para ler outros artigos no Vivo Meu Negócio:

Até breve!

Gostou deste conteúdo?

Compartilhe nas suas redes:
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio