Como a Internet das Coisas ajuda a resolver problemas e a inovar no agronegócio

Dispositivos e máquinas, conectados e com acesso remoto, são fundamentais para a transformação digital no campo

28/07/2020 às 9:00

A revolução digital ultrapassou as porteiras e levou ao campo a Internet das Coisas, uma das ferramentas mais transformadoras para o agronegócio. Por meio dessa solução, todos os equipamentos da fazenda podem ser interligados via internet.

A enxada é substituída por máquinas automatizadas, a medição das condições do solo é realizada por sensores, drones detectam pragas e fazem a pulverização e tudo pode ser acompanhado e comandado a quilômetros de distância. Esses são alguns exemplos do que essa tecnologia pode fazer pela agricultura.

Dados da pesquisa IoT Snapshot, realizada entre outubro e novembro de 2019, em parceria com a Stratica, apontaram os segmentos em que há mais planos concretos de investimento em IoT. E o agronegócio aparece em terceiro lugar. Portanto, os empresários do setor estão atentos e entendem a importância de implementar essa solução no negócio.

Neste artigo, você vai ver:

  • A funcionalidade da IoT no agronegócio
  • Conectividade é fundamental
  • Soluções para colocá-la em prática no dia a dia

Imagem de um homem olhando o celular no meio do campo para simbolizar o uso de IoT no agronegócio.
Agronegócio aparece em terceiro lugar como setor que mais investe em IoT. Foto: Freepik

IoT na prática do agronegócio

O primeiro passo é entender como funciona a Internet das Coisas. Essa ferramenta conecta máquinas, equipamentos e dispositivos via internet, simultaneamente e, assim, possibilita o compartilhamento de dados e informações, automatizando a produção e permitindo o acesso remoto.

Nesse sentido, uma das soluções mais usadas e eficientes é o sistema de previsão climática. Uma estação meteorológica movida a energia solar, por exemplo, é instalada no campo e consegue captar informações sobre clima e o solo em tempo real.

Por meio dos dados é possível entender quando e se a terra vai precisar de irrigação, caso a previsão não seja de chuva para os dias seguintes.

Outra aplicação é para a gestão do maquinário pesado. Com a telemetria avançada, recebem-se os dados de tratores, colheitadeiras e outras máquinas, analisar e tomar decisões bem embasadas.

A partir disso, por exemplo, os dispositivos informam ao gestor sobre a rotação do motor, patinação, pressão do óleo, entre outros pontos. E por meio de cruzamento de dados, dá para entender se o condutor está na velocidade adequada, se dirige de forma agressiva e obtém outras diretrizes sobre o perfil de condução.

Assim, consegue prever o uso de combustível e ter uma ideia de quando será preciso realizar alguma manutenção.

Imagem de máquinas em um campo aberto para simbolizar a gestão de tratores pelo uso do IoT.
Entre os benefícios do uso de IoT está a gestão de máquinas. Foto: Freepik

Confira alguns exemplos do uso de IoT no campo:

  • Sensores instalados no solo medem as condições da terra e enviam os dados, oferecendo base para tomada de decisões como fertilização, plantio, colheita, irrigação etc;
  • As correções são automáticas, por exemplo, se há falta de água no solo, a irrigação é acionada;
  • Drones oferecem detalhes topográficos, visão completa da área de lavoura, crescimento e ainda são capazes de fazer a pulverização;
  • Maquinários pesados, como tratores, podem ser automatizados e orientados por GPS;
  • Sensores monitoram os animais e ainda detectam doenças;
  • Aplicativos trazem informações sobre a saúde dos animais, controle de vacina e de gestação;
  • Dispositivos instalados em ambientes fechados, como granjas, são capazes de controlar a distância a alimentação e permitem fazer ajustes quando há variações de temperatura e luminosidade;
  • Os softwares podem fornecer a localização dos trabalhadores, oferecer dados sobre as condições climáticas, administrar o estoque, apontar o aparecimento de pragas, enfim, monitorar diversos setores ao mesmo tempo.

A importância da conectividade

Afim de que tudo possa ser interligado, conectividade é a chave do negócio. Para que as ferramentas digitais sejam usadas da melhor forma é imprescindível contar com uma rede estável e internet de alta velocidade.

A Vivo Empresas oferece planos para todas as necessidades. E nesse sentido, o Long Term Evolution for Machines (LTE-M) é uma solução específica para conectar dispositivos IoT, transmitindo dados em longo alcance.

Imagem de uma mulher sentada no meio de um campo usando um computador para simbolizar a conectividade.
Conectividade é fundamental para o uso da IoT. Foto: Freepik

Soluções para a implementação de IoT no agronegócio

No agronegócio, a conectividade M2M (machine to machine) é uma excelente aliada. Com essa solução, dispositivos e equipamentos do campo são ligados, permitindo que se faça um monitoramento em tempo real e a distância. E, geralmente, sem intervenção humana.

Por meio de sensores e gatways, é possível automatizar processos e gerenciar remotamente as principais atividades da fazenda.

Conhece a Vivo Kite Platform? Pioneira e líder no mercado brasileiro, a plataforma gerencia o sistema M2M da Vivo Empresas, que chegou a 10 milhões de dispositivos conectados no final de 2019.

Este produto é hospedado em nuvem e permite a gestão online, com geolocalização de SIMs, diagnóstico remoto, controle de usuários, notificações e ações automáticas e auditoria. A interface da Vivo Kite traz as informações em um único dashboard de forma intuitiva. Tudo isso com segurança garantida por criptografia.

A Vivo Empresas ainda tem em seu portfólio de IoT a plataforma COA (Centro de Operações Agrícolas), que também conecta máquinas, instalações de armazenamento de insumos, sensores de monitoramento de clima, sistemas de irrigação, entre outros. Essa ferramenta rastreia e interpreta os dados, deixando toda a operação do campo mais produtiva e eficiente.

As informações são captadas via conectividade, imediatamente enviadas à nuvem, lidas e analisadas pelo COA, que distribui tudo em telas simples e intuitivas. Dessa maneira, fica mais fácil tomar decisões sobre plantio, armazenamento e monitoramento de equipamentos.

Conclusão

O trabalho no campo não é mais o mesmo. Com máquinas e dispositivos interconectados, é possível automatizar processos, entender melhor as condições de plantio e colheita, monitorar todas as etapas da produção de forma remota e tomar decisões mais assertivas baseadas em dados.

Dessa forma, o resultado é maior, em termos de produtividade, eficiência e economia em todas as etapas. E a Internet das Coisas é certamente uma solução imprescindível para isso.

Os resultados são conquistados com conectividade de qualidade e soluções de gerenciamento, como as plataformas Vivo Kite e Centro de Operações Agrícolas (COA). Por fim, esperamos que este artigo e o webinar tenham representado a importância do uso da tecnologia no agronegócio.

Se quiser saber mais sobre o emprego das novas tecnologias no campo, confira outros artigos que separamos para você:

Até a próxima!

Gostou deste conteúdo?

Compartilhe nas suas redes:
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio