Gestão participativa: conheça as vantagens e os desafios de implementá-la

Saiba o que é gestão participativa e de quais maneiras implementar esse conceito pode fazer a diferença no dia a dia e na saúde financeira da empresa.

12/12/2019 às 9:00

Neste artigo sobre gestão participativa você vai aprender:

  • O que é esse tipo de gestão;
  • Quando vale a pena apostar;
  • Quais são as vantagens;
  • Quais são os desafios.

Gestão participativa é um termo que está em alta no universo empresarial. Trata-se de uma mudança no modelo tradicional de liderança. Ou seja, deixa de haver apenas uma pessoa passando instruções para toda a equipe, como se fosse um efeito cascata. Nessa nova configuração, todos os indivíduos são considerados essenciais no sistema de administração.

Gestão participativa: mulheres fazendo uma reunião.
A gestão participativa empodera os colaboradores.

Isso quer dizer que são estimulados a dar opiniões com frequência em diferentes situações, estar presentes em reuniões importantes e a tomar decisões juntamente com os seus gestores. É uma relação de muita confiança, liberdade e, sobretudo, de colaboração.

Como fazer isso na prática?

Os gestores continuam existindo. No entanto, aquele peso de “chefe” diminui, pois o poder de decisão não está concentrando em suas mãos apenas. Tal característica promove uma interação e, consequentemente, uma troca maior entre as equipes.

Imagine, por exemplo, que uma pessoa com nível de iniciante seja convidado a participar ativamente de reuniões importantes. Mesmo com anos a menos de experiência, a vivência que ele teve em outros locais e a visão que possui sobre o mercado podem contribuir de diferentes maneiras para a melhoria de processos, por exemplo.

Mulheres fazendo uma reunião.
Uma das principais vantagens da gestão participativa é a troca entre as equipes.

Dar espaço para todos é essencial nesse sentido justamente por permitir uma troca rica de experiências. E para estimular isso, nesse novo modelo de gestão participativa os cargos são “suavizados”. Ou seja, não há mais aquele distanciamento que limitava o compartilhamento de ideias e histórias.

O que a minha empresa ganha com a gestão participativa?

Um dos principais ganhos é o estímulo profissional que esse modelo dá para os integrantes das equipes. Eles se sentem parte da organização e têm total liberdade para atuar. Portanto, é um motor muito potente de estímulo à criatividade e de amor ao trabalho.

E quando todos trabalham em equipe, envolvidos com os objetivos propostos, os resultados são muito melhores. Nesse caso, o comprometimento dos colaboradores faz toda a diferença.

Além disso, por se tratar de um modelo muito mais flexível, também acontece uma integração maior entre as áreas. Sendo assim, os grupos de trabalho são cada vez menos homogêneos, o que é um estímulo profissional importante.

Reunião de diferentes profissionais.
Há muitos benefícios no modelo de gestão participativa.

A gestão participativa também é um ganho no que diz respeito à redução de custos. Isso porque os colaboradores costumam ser mais conscientes e comprometidos também com o uso de recursos. Sendo assim, os desperdícios diminuem significativamente.

Conheça agora mesmo o Vivo Gestão de Equipe!

Por fim, mas não menos importante, está a inovação. Esses novos perfis de profissionais tendem a levar ideias inovadoras para dentro da empresa. E se envolvem “de cabeça” na execução delas. Ou seja, todos ganham com essa postura!

Como implementar a gestão participativa no dia a dia?

Você deve ter em mente que será preciso mudar muitas coisas dentro da empresa. A estrutura física é uma delas. Chefes dentro de salas fechadas estão totalmente contra o conceito. Isso distancia esse profissional dos demais. O mais interessante é que todos trabalhem juntos e integrados, com condições iguais.

Também será preciso mexer nos padrões dos cargos da empresa. E, para isso, deve se fazer uma conversa aberta com os colaboradores explicando os motivos e apresentando os benefícios dessa nova configuração. Outras dicas são:

  • Estimule: você será o responsável por estimular os colaboradores. Por mostrar que eles fazem a diferença em todos os processos e que está aberto(a) sempre para ouvir opiniões e receber sugestões. Esse papel é seu – e é essencial fazer isso no momento da implementação do conceito.
  • Pense em novas atividades: para estimular a integração é essencial pensar em ações diferentes. Bate-papos com as equipes, almoços e workshops, por exemplo, são boas opções para dar início ao modelo de gestão participativa.
  • Avalie: sempre verifique se o novo modelo tem funcionado. Além disso, deve saber como as pessoas estão recebendo tudo isso. Portanto, a melhor dica aqui é conversar. Promova bate-papos descontraídos para analisar o sentimentos das equipes.
  • Reconheça: comemorar todos os resultados é uma boa maneira de empoderar a equipe. Não deixe nada passar – obter reconhecimento sobre aquilo que faz é um dos principais combustíveis para o profissional. Além disso, nunca deixe de reconhecer as habilidades dos seus colaboradores.
Duas mulheres conversando em um ambiente empresarial.
É preciso seguir uma série de etapas para implementar o modelo de gestão.

Comece agora mesmo

Aliás, esses passos são essenciais para começar! E aí, o que achou das dicas? Mas já que estamos falando sobre o tema, aproveitamos para relembrar uma matéria que fizemos recentemente sobre aos práticas para gerir uma equipe.

Além disso, veja também de quais maneiras você consegue profissionalizar o seu negócio sem dores de cabeça e com bons resultados! E, como sempre, fique conosco aqui no blog para ter acesso a mais conteúdos como esses. Aliás, agradecemos a leitura e até a próxima!

Gostou deste conteúdo?

Compartilhe nas suas redes:
Veja mais sobre
GestãoMercado
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio