Como as novas tecnologias ampliam a eficiência na colheita de soja

03/12/2020 às 10:13

Hoje, o Brasil é um dos maiores produtores de grãos do mundo. E em parte, isso se deve aos avanços tecnológicos no campo, que têm ajudado a otimizar diversas culturas. Em especial, a produção e a colheita de soja.

Por outro lado, no cenário atual, além da busca por eficiência e redução de custos no campo, é também preciso mitigar danos ambientais. Afinal, a sustentabilidade ganha um peso cada vez maior no mundo dos negócios. E não inovar nessa seara pode significar perda de competitividade na hora da venda. 

Assim, escolher as soluções digitais certas para cada momento da sua produção se torna essencial por auxiliar não apenas o aumento de rendimento, mas também por serem grandes aliadas para um futuro mais sustentável.

Neste artigo, você verá:

  • O potencial agrícola brasileiro e a digitalização do campo
  • A evolução da colheita de soja
  • Novas tecnologias no campo
  • Cuidados na implementação de tecnologia para a colheita de soja e outras culturas
Brasil é um dos maiores produtores agrícolas do mundo (Getty Images)

O potencial agrícola brasileiro e a digitalização do campo

O agronegócio é um dos principais pilares da economia brasileira. Em 2019, representou 21,4% do PIB do Brasil, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Isso corresponde a R$ 1,55 trilhão em bens e serviços gerados por esse setor.

Do mesmo modo, a expectativa é que na próxima década, o setor continue crescendo e superando desafios. De acordo com um levantamento do Ministério da Agricultura, só a produção brasileira de grãos deve crescer 27% até 2030, somando 318,3 milhões de toneladas.

Mas para chegar nessa evolução, é necessário inovar e investir em novas tecnologias que possam auxiliar do plantio à colheita de soja e muitas outras culturas. 

34% dos produtores rurais no Brasil já realizam alguma transação digital online
Fonte:
McKinsey & Company

Nesse sentido, uma pesquisa da McKinsey & Company mostrou que a penetração digital nas plantações no Brasil já é maior que nos Estados Unidos. Os dados indicam que, especialmente no Centro-Oeste, quase dois terços dos agricultores têm menos de 45 anos. E, visto que são mais jovens, estão mais abertos às novidades digitais. 


LEIA MAIS: Entenda como as tecnologias digitais aumentam a produtividade no campo


Brasil conta com alta penetração digital no campo (Kelly Sikkema on Unsplash)

A evolução da colheita de soja

A soja surgiu no Brasil como uma opção de verão, em sucessão ao plantio de trigo. Entretanto, logo começou a ser vista de forma mais comercial. Em 1966, já eram produzidas 500 mil toneladas do grão e, atualmente, o País é o segundo maior produtor, perdendo apenas para os Estados Unidos, revela a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Porém, nesse meio tempo, para atingir esse crescimento em produção foram realizados diversos avanços tecnológicos, como a melhoria do maquinário.

Além disso, outra peça-chave foi a agricultura de precisão. Pois, por meio do monitoramento com drones, por exemplo, ela identifica oportunidades de aperfeiçoamento de manejo do solo e plantio, oferece uma melhor gestão da área de cultivo e maior produtividade.


LEIA MAIS: Conectividade e IoT no campo: Vivo Empresas apoia digitalização da Fazenda Guanabara


Drones são cada vez mais usados no campo (Jonathan Lampel on Unsplash)

Novas tecnologias no campo

O primeiro passo na digitalização do campo é investir em conectividade. A partir dela, outras ferramentas poderão ser implementadas com a finalidade de facilitar a gestão das fazendas.

Logo após garantir uma conexão de internet de qualidade, uma boa alternativa para inovar é a utilização de soluções baseadas em Internet das Coisas (ou IoT). Por meio dela, é possível ter uma comunicação entre dispositivos, conectados pela tecnologia M2M, da Vivo Empresas. Assim, cada ponto gera dados que ficam armazenados em Cloud, que podem ser analisados para trazer mais eficiência à produção. 

Alguns usos práticos dessas soluções são:

  • Rastreamento e acompanhamento do maquinário e suas atividades, permitindo uma análise de eficiência;
  • Monitoramento da lavoura com drones para acompanhar o crescimento e detectar problemas;
  • Predição de microclima visando definir as melhores datas para cada atividade (por exemplo, evitando pulverização em um dia com fortes ventos);
  • Rastreamento dos produtos agrícolas, permitindo um acompanhamento das sacas pós colheita de soja, por exemplo, para garantir a sua segurança.

A IoT é uma das tendências dos próximos anos. A expectativa é de que, até 2027, sejam 41 bilhões de dispositivos conectados espalhados pelo mundo, de acordo com o estudo The Internet Of Things 2020, do Business Insider Intelligence. 

Por fim, tão importante quanto inovar, é equilibrar a produtividade com práticas sustentáveis. Atualmente, já são exigidos certificados relacionados a um desenvolvimento sustentável antes da compra. 

Assim, por meio do monitoramento inteligente dos equipamentos de IoT, é possível otimizar a produção sem aumentar o espaço de plantio. E, também, utilizar melhor recursos como a irrigação. 


LEIA MAIS: 5 dicas para inovar na gestão do agronegócio 


Cuidados na implementação da tecnologia na colheita de soja e outras culturas

Reduzir custos, aumentar a produtividade e gerar maior lucro. Esses são alguns dos objetivos dos agricultores que investem na implementação de tecnologias digitais em diferentes etapas na lavoura, como na colheita de soja. 

Porém, segundo um levantamento da McKinsey & Company, a fim de aproveitar os benefícios dessa transformação digital é preciso:

  • esclarecer os objetivos (por exemplo, liderança em custos, excelência comercial e novas plataformas de crescimento) e priorizar os investimentos de acordo;
  • definir e rastrear indicadores-chave de desempenho para provar o valor para o negócio;
  • estabelecer os capacitadores certos para garantir escalabilidade (como estrutura de tecnologia completa e até formas ágeis de trabalhar).

Em outras palavras, sem um planejamento de negócio para a agricultura até mesmo as mais novas tecnologias podem deixar a desejar. 

Conclusão

Ao contrário da maioria dos setores, o mercado de commodities agrícolas seguiu com bons preços e demanda ao longo de 2020. Destacaram-se os grãos, em especial soja e milho, que trouxeram resultados surpreendentes aos agricultores. Porém, é preciso continuar crescendo e, para isso, inovar é fundamental. 

A evolução da agricultura é uma combinação de liderança, tecnologia e uma visão de futuro. Para apoiar a evolução do agronegócio no Brasil, a Vivo Empresas oferece soluções digitais que suportam desde o planejamento da produção ao armazenamento da produção e que atendem pequenos, médios e grandes produtores.

Além disso, conta com um portfólio completo de tecnologias digitais baseadas em Conectividade, Equipamentos, Cloud, Segurança, Big Data, Ferramentas de Colaboração, IoT e TI.

Quer ler mais sobre tendências em tecnologia no agronegócio? Veja os artigos que separamos para você:

Compartilhe este conteúdo!

Solicite um contato
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio